quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Alternativas

Esta semana fui a uma consulta com um médico naturista que me foi recomendado, não percebi muito bem qual era a especialidade do senhor, mas vi no consultório alguns diplomas de homeopatia, osteopatia, acunpuntura e outras áreas do género. Não fui por nenhum problema em particular (já estou melhorzinha, obrigada) e a abordagem inicial também foi a de diagnóstico, sem muitas perguntas, através de um método aparentemente objectivo e científico. Pois então, ao contrário do que estava à espera (ver as doenças pelas pupilas, técnicas de reflexologia, etc) o "Dr." colocou-me uns head phones de tamanho considerável, ligados ao computador e a outra máquina e saiu da sala, durante cerca de 20 min (o tempo do "exame de diagnóstico"). Curiosa, tive de perceber às custas dos meus neurónios cansaditos (e do que aparecia no écran do computador!), que se tratava de uma ressonância de frequência por modulação (ou algo parecido). Basicamente, fazia uma análise do meu organismo, órgão a órgão, zona a zona sendo estes assinalados com sinais positivos ou negativos. Fez também uma análise através dos dedos (uma espécie de scanner das impressões digitais!). Destes dois "exames" resultaram as "fragilidades" do meu organismo e o que está bem. Devo dizer que estava extremamente céptica enquanto estava a fazer os tais exames, mas que, surpreendentemente o resultado foi bastante aproximado aos ligeiros problemas de saúde que se manifestam em mim: problemas respiratórios (alergias, infecções na garganta), circulatórios (má circulação) e mais uma ou outra coisita. Ok, não fiquei convencida a 100% porque me perguntou outras coisas que me pareciam não ter nada a ver... do género: "tem algum problema na vista direita?" (Não! Vejo perfeitamente.) Mas o que é certo é que acertou em cheio nos aspectos principais.
O meu cepticismo foi diminuindo mas só irei ter a confirmação se depois de tomar alguns medicamentos naturais que me receitou (caríssimos!) notar alguma diferença. Continua a ser difícil acreditar noutras abordagens menos conhecidas, menos conceituadas e aparentemente menos científicas. O que é certo é que as explicações são extremamente lógicas e há a preocupação em resolver o problema na origem, ao contrário do que por vezes vemos na medicina convencional, que muitas vezes trata apenas os sintomas. Serão métodos diferentes mas eficazes ou haverá espaço para a "adivinhação" e suposições pouco fundamentadas? (Uma grande treta, portanto?)

7 comentários:

Canochinha disse...

Sabes que cada vez mais as pessoas têm tendência a recorrer a outros tipos de medicina porque estamos a ficar desiludidos com os médicos convencionais. Eu nunca experimentei, mas sei de casos em que pessoas, depois de andarem anos nos médicos convencionais, experimentaram alternativas e ficaram melhores. Por isso... acho que o lema é não negar à partida uma ciência que se desconhece ;)

Sadeek disse...

Bom dia Jasmim.

Não poderia deixar de retribuir a visita e deixar o meu agradecimento pelo simpático comentário. A porta está sempre aberta portanto espero que passes a ser visita...

Ah, eu também sou um bocado céptico com estas novas "medicinas". Tenho um pequenito com 6 meses que tinha cólicas do pior e, já em desespero, levei-o a um homeopata. O homem até contra as vacinas era...ok ok, então até à próxima foi o que tive de lhe dizer... ;)
Enfim, mas como em tudo na vida ,há que manter a mente aberta!


Beijocas

Hydrargirum disse...

Eu realmente, como nao tenho experiencia de contacto com essas ditas vertentes alternativas, nao tenho opiniao formada...
Mas o que e certo e que por exemplo a acunpuntura ter milhares de anos como tecnica oriental...portanto alguma coisa eles (os orientais) la devem saber...

Eu espero vivamente que os medicamentos (Carissimos!!!!) te facam efeito devido...
Mas devia ser precisamente o contrario...os medicamentos deviam ser mais baratos para "estimular" as pessoas a possibilidade dessas Med.Alterns. nao achas?

Jasmim disse...

Canochinha, acredito no equilíbrio, em todas as áreas da nossa vida e tal como dizes, não devemos rejeitar à partida algo que não conhecemos. Nem cepticismo total, nem crença cega.

Bem vindo Sadeek, obrigada pelo comentário, volta sempre!

Hydra, também acho, os medicamentos e as consultas deviam ser bem mais atractivas em termos de preços... mas como na saúde as pessoas sujeitam-se a tudo, eles aproveitam!

Miss Alcor disse...

Não sou assim muito crente, mas o que é certo é que o nosso corpo é natural. Ou seja, tudo é carbono. Somos iguais a tudo a resto, com a única diferença no modo como as moléculas se agupam.
Aqui à uns anos torçi um pé (e não fui ao hospital arranjá-lo!). Nunca mais fiquei bem. O médico de família disse-me que aquilo só iria ao sítio com cirurgia correctiva.
Era uma situação incomodativa, porque não podia fazer esforço. Correr era um suplício, e molhar o pé na água do mar, um tormento!
Fui a um médico naturista. O homem torceu-me o pé para um lado, e para o outro e disse-me que já estava boa. Paguei 10 contos na altura! A verdade é que nunca mais tive problemas! Nunca mais me doeu o pé! Qual cirurgia correctiva, qual quê!

Vanity disse...

olá jasmim! por acaso esse médico não fica perto do cemitério em Benfica? è que se foi, eu também já la estive de auscultadores na cabeça...lol

Jasmim disse...

Vanity, é esse mesmo!! Não acredito, mais uma coincidência??! LOL