sexta-feira, 23 de março de 2007

Porquês

Hoje estou muito reflexiva... deve ser porque o dia foi e está a ser longo. Hoje pensei, questionei, reflecti, duvidei, ponderei, refilei, conversei e duvidei mais do que o habitual... sobre o que quero fazer, o que vou fazer, o que devo fazer, sobre os meus objectivos pessoais, de carreira, de vida. Hoje tinha muitos "porquês" na minha cabeça. Normalmente sou assim, penso muito, reflicto muito sobre as coisas... às vezes é bom, outras dá mau resultado. Não pensar muito sobre os assuntos, agir em vez de parar para questionar se estamos a fazer bem ou mal, pode ser óptimo para nos conduzir para a frente, para progredirmos. Mas às vezes também pode ser uma fuga, uma necessidade de ocultar ou esconder pensamentos e emoções, que sobem à tona mais cedo ou mais tarde. Questionarmo-nos sobre tudo isto, sobre as decisões que tomámos e que os outros tomaram, sobre as nossas acções e as intenções dos que nos rodeiam, sobre o que sentimos e os outros mostram é complicado... dá trabalho, suscita mais dúvidas, origina mais questões, mas também nos obriga a colocar a hipótese de várias soluções, de diferentes perspectivas e formas de encarar o mundo. Quando era mais nova normalmente não questionava muito, não era uma miúda curiosa como a minha mana traquina que tinha mil porquês e respostas prontas na ponta da língua, era a primeira a descobrir como as coisas novas funcionavam lá em casa... (e a primeira a estragar também!). Eu era mais "sossegada", aceitava sem questionar muito e a acreditar plenamente nos outros e no que me diziam. Talvez por falta de curiosidade, por receio de me manifestar e fazer má figura, por alguma timidez em situações novas, mas sempre pensando e reflectindo imenso. Sou, de facto, uma pessoa mais introvertida e isso não é (pelo menos para mim!) um defeito, apenas um traço, com vantagens e desvantagens. Sou uma introvertida cautelosa, ponderada e calma numas situações e impulsiva, emotiva e com gosto em arriscar noutras. Adoro um bom serão no sofá da sala a ver um filmezito, mas também vibro com uma saída à noite para dançar com as amigas! Sou resistente à rotina, mas fico em pulgas por experimentar uma actividade ou desporto radical! Aprendi e evolui, passei a dizer mais o que penso, a agir mais, a manifestar-me mais... sem tanto receio da crítica, sem tantas inseguranças. A prova disso é este post e este blog! Do nascer ao pôr do sol, quero dizer o que penso e sinto e concretizar os meus objectivos com convicção, espontaneidade, ponderação e bom senso, sem receio da crítica (ela também pode ser positiva...), porque quero e tenho de corresponder às MINHAS expectativas.

1 comentário:

Nádia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.